domingo, 11 de setembro de 2016

É entre um olhar naufragado e cansado que escolho a voz do silêncio num recolhimento sem acolhimento...perdido o som dos equinócios tudo balança em sombras na penumbra da luz...quero partir...deixar as amarras e voar ao encontro do que o meu coração empurra na emoção de uma razão que adormece...parto!

Sem comentários:

Enviar um comentário