quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

É virgem a palavra que saí nos punhos da impulsividade com os lábios abertos num sorriso...
Se deixaste de me encontrar é porque eu fiquei noutra estrada...não é abandono mas sim um outro caminho aquele que tenho que seguir...
Para onde me levas pensamento inquieto, nesta manhã que o orvalho é gelo...um manto branco que aguarda os raios alaranjados paridos do ventre da terra ao encontro do cume em chamas...aquieta-te e fica apenas a navegar na cálida lembrança que o rio te faz recortar do cerne quente onde te alimentas...
 

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Liberdade é poder sentir a aragem de um mar em estado revolto e ficar sentada na areia a enrolar os sonhos na ondulação em crescimento...

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Em tudo que recolho nem tudo entrego...existem pedaços que ficam para mim eternamente!

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011


Aquilo que é mais simples, é tudo aquilo que a humanidade confunde, no simples acto de julgar!

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Indiferentes não são as palavras mas sim os silêncios.
Existem tantos silêncios como palavras de um dicionário deste o tempo da antiguidade!
 

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Os elos que verdadeiramente unem, são os mesmos que temos no cerne...nunca são externos!

domingo, 11 de dezembro de 2011

Quando me quiseres encontrar, estarei no teu olhar amplo, não nos ângulos onde te escondes!


Que importância têm as coisas quando as almas não as sentem, nem as procuram...

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Ardem-me as pestanas do frio que as entranha, um vento desértico que passa pela atmosfera; não o frio do tempo mas, um tempo frio, onde não me encontro!

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Com a medida do tempo vamos tendo a perfeita consciência daquilo que somos na vida de alguém!
 

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Os montes e os vales existem para todos os olhares...uns focam o monte outros o vale!

domingo, 4 de dezembro de 2011

Um dia pode ser o último, o primeiro ou simplesmente o meio de um tempo...o tempo nunca é estático e com ele nos faz lembrar que as mudanças imperam no tempo...mesmo que a vontade esteja longe e as ausências tão perto de cada emoção do tempo!

sábado, 3 de dezembro de 2011


São grandes as criações que se constroem, são grandes os fundamentos que se alinham...na lei natural da sobrevivência o que vingará não é a grandeza, mas sim; a natureza traçada em estado puro!


sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Não sei onde me vês...apenas sei onde me encontro...em ti estarei onde o teu coração conseguir alcançar!

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

As palavras que melhor me falam, são as que se dobram nas sombras de um movimento calado!

Há um espaço onde as formas se perdem na cor e eu me encontro para lá do imaginário...

Suave é o silêncio
a voz vinda num sopro mudo
os ruídos do mundo
abafam a consciência
quando não se desperta
o silêncio dentro de nós;
não o despertar em palavras vãs
mas em actos e gestos genuínos....