terça-feira, 30 de agosto de 2011

Hoje rendo-me, entrego tudo ao vazio que sinto, aos sonhos que pecaram e me abandonaram numa noite de insónia.
Quando o nosso mundo está noutra mão, só ela nos pode erguer ou a força que não existe para noutro mundo sobreviver...
Por vezes quando tudo acaba há um começo a explodir que é igual ao terminado... aplaudido...o corpo apenas está mais cansado mas lutar é imperativo!

sábado, 27 de agosto de 2011


Não foram as tuas palavras, que me ensinaram a entender o olhar, foram as sombras que os gestos vestiram, e no silêncio os ecos, que agora recordo; fazem dessas palavras a exactidão de um perfil, que não quis entender, quando vivia com o sol no peito e tudo o que vislumbrava era o reflexo desse sol…



As sombras que me vestem são as formas mortas desenhadas na terra onde o pó as esquece num sopro de vento quando o sol do olhar as busca na contra luz que o âmago resplandece...

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

A amizade não é um perfil vestido de avatar...não é estar constantemente ligados, em todas as horas do dia...é estar mesmo na distância; é falar imensamente mesmo no silêncio...entregar um sorriso e desvendar as verdades, em privado mesmo que magoe o amigo...é despertar-lhe a consciência, com a mão estendida a indicar o caminho para ser escolhido!
Já o sol vai alto e as nuvens dançam indiferentes, aos corpos que se esquecem que o dia é dia e a noite é apenas um complemento onde o silêncio beija as memórias e a consciências organiza as metáforas de uma vida...

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Todos os acasos que nos acontecem, não são acasos, são metas para traçar com a impulsiva força do âmago!

terça-feira, 23 de agosto de 2011

Só entenderás verdadeiramente o meu Amor quando te compreenderes a ti na mesma dimensão.

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

O vento anda perdido, a chuva caí em tempos de sol...as noites são os dias de inspiração, as mudanças acontecem, só temos que abrir o coração!

domingo, 21 de agosto de 2011


Agora, novas páginas começavam em esboço, com a velocidade da atmosfera, um calor sem chamas; medo, curiosidade. O fim de um novo princípio.

sábado, 20 de agosto de 2011


O tempo, aquele que tudo apaga, que tudo muda e que nada dá se não o quisermos receber!

sexta-feira, 19 de agosto de 2011


Quando se encontra o fio leve da vida tudo é um amplo sorriso mesmo quando as nuvens são de cor cinza e as vozes murmuram sem calor...

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Os sonhos podem não acontecer, contudo podemos e devemos sempre ter sonhos...renova-los e faze-los crescer...é neles e com eles que a felicidade amadurece.

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Um regresso é tão bom como uma partida...pois sem o inicio nunca podemos fazer o balanço para novas correntes....

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Caem as gotas da noite o fecho de um ciclo a abertura de um outro nas margens da vontade...as correntes quentes passam as frias também...espaços onde o aroma é único...as brumas do sonho perfumam e os rostos alegram novas passagens...

sábado, 13 de agosto de 2011

Os sons da noite vivem e correm nas hostes da lua cheia...a voz muda dos poetas alberga o néctar num conta gotas tranquilizo com o vento minucioso a serenar o espírito....

sexta-feira, 12 de agosto de 2011


Quando o sonho desperta a vida...a realidade é sonhar na linha do destino...destemida. apenas feliz por ser vida!


Com o som do mar e no voo das gaivotas o sol brilha intensamente na formas livres do corpo, as silhuetas despertam e mergulham na paz que navega no ar...

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Nunca escondas o rosto de um raio de sol pois é ele que dá o brilho límpido as faces...

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Tenho a alma descrita numa folha em branco, nos lábios que sorriem onde aquilo que encontras é  luz para ti...em mim!

sexta-feira, 5 de agosto de 2011


A vaguear entre o verde e o azul mar as nuances das névoas bailam salpicos de orvalho...a mente e o corpo unos regozijam em júbilo...

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Nas promessas do agora o sol irradia raios finos de intensa luz...o corpo recebe e acalenta a voz do espírito uma brisa suave onde navega a paz...o âmago aberto para mergulhar em águas trazidas pelo teu olhar...

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Estavam todos a dormir mas o sol nasceu...envergonhado perante o teu atento olhar... ali mesmo ao seu lado a maresia a fazer companhia num areal sossegado...murmuramos promessas mil e viajamos no silêncio com uma gaivota a cantar solenidade...