quinta-feira, 30 de abril de 2015

A vida faz tanto eco que devemos falar em cânticos para que o retorno seja uma melodia...

quarta-feira, 29 de abril de 2015

Há uma nostalgia nos mágicos silêncios com palavras dentro...é tão fácil entender a natureza...é tão complexo entender os humanos!

domingo, 26 de abril de 2015

Da janela da madrugada vi no silêncio as palavras que não foram ditas nem escritas...vi os olhares refletidos no luar ausente...enquanto a chuva caía o vento soprava e nele os sentidos ficaram mais nítidos...
As cartas estão em desuso talvez por isso já não se entenda o "de" e "para"...

sábado, 25 de abril de 2015

Há quem confunda aquilo que se aceita nos outros... julgam que este aceitar é concordar...quando aceitar e deixar cada um caminhar por onde escolheu andar...aceitar é observar e conhecer...é aprender que cada viver tem o seu espaço e descobrir que há também um espaço nosso a aceitar!

quinta-feira, 23 de abril de 2015

Escrever é criar um mundo na ponta dos dedos para encontrar olhares que os levem a universos amplos...ler é crescer em conhecimento...não haverá escritor que não seja leitor...não faz sentido ser sem ser!

quarta-feira, 22 de abril de 2015

Todos nós somos donos de opções e razões com motivações...todos escolhemos e não devemos esquecer que colhemos as escolhas que um dia escolhemos...porque as nossas motivações e razões são motivos para outras motivações e razões... nas motivações e razões outros aprendem e encontram novas motivações e razões...por vezes isto é esquecido e abrimos exclamações e interrogações quando a resposta está nas escolhas...sempre as escolhas...

terça-feira, 21 de abril de 2015

A vida é um caminho com muitos caminhos a desvendar...a caminhar crescemos e aprendemos muito ao ver como outros caminham nos mesmos caminhos...não fazendo desses passos o nosso caminho aprendemos como caminhar...

segunda-feira, 20 de abril de 2015

Faltam espelhos de água aos olhares...turvas as águas que correm pelas ruas...muitas são as palavras...poucas as nascidas de verdade após um profundo mergulho no eu...sem orgulho!

domingo, 19 de abril de 2015

As horas são inalteráveis no tempo...dentro de nós as horas nunca têm o mesmo tempo!

sexta-feira, 17 de abril de 2015


Entender o eu é demasiado complexo...desisti de entender-me...apenas e somente aceitar-me a mim e aos outros eu's...não vale a pena entender a complexidade porque nunca há uma completa descoberta...
A vida é tão fugaz que não devemos deixar de ser audazes e ocupar esse espaço com motivações capazes de nos fazerem sonhar em cada despertar...
Em busca da quietude amplifico o silêncio e nele caminho ao encontro de novos espaços onde a verdadeira e sentida união é a única razão que me move...

quinta-feira, 16 de abril de 2015

Dentro de nós há um espaço vazio que só mesmo cada individualidade a pode preencher sem auxilio de terceiros...cabe a cada um encontrar esse espaço e dele fazer um jardim em plena Primavera!

quarta-feira, 15 de abril de 2015

Do céu descem sonoros ruídos que faícam no meu silêncio ...as esperas inquietam o tempo...o tempo muda...as tempestades (não) serenam...a Primavera não chega e o sol chora a sua ausência...

terça-feira, 14 de abril de 2015

Há muita vaidade disfarçada de humildade...tal como; também há posturas que apelidam de vaidade sendo pura humildade...

segunda-feira, 13 de abril de 2015

Afinal apagam mas espreitam! Estranha forma de ser...e só vêem o que querem ver...
( a pensar alto nas teclas do pc )

Ao olhar a linha do tempo sobra espaço para tanto tempo...apenas contemplo que o tempo tudo leva e tudo traz como lhe apraz...esperar é a arte sábia que só o tempo ensina sem lábias...
Para que serve escrever?...Será para deixar dormir as emoções ou simplesmente para despertar os sentidos da humanidade?...dúbias questões que me dançam na mente que pensa constantemente e pensa porque sente!

sexta-feira, 10 de abril de 2015

Passarei a ser mais normal, no entanto desconheço se algum dia sentirei a normalidade com naturalidade...

quinta-feira, 9 de abril de 2015

Já atravessei tantas tempestades e tantos raios de sol que agora as esperas já nem são esperas, são Outonos maduros na rubra cor com que descubro o som de tudo no luar dos pensamentos...

quarta-feira, 8 de abril de 2015

Há um emaranhado de palavras dispersas e somente o silêncio me abraça em verdade...

segunda-feira, 6 de abril de 2015

Hoje uma nuvem dançou no fim do luar e segredou-me que já nada há para inspirar neste tempo de momentos...é tempo de escrever o ponto final deste percurso sem cursos a acrescentar...

domingo, 5 de abril de 2015

Procuramos grandes (e)feitos quando a verdadeira essência e beleza se encontra na pura natureza de coisas tão pequenas como a folha que voa e cai no chão num dia de Primavera...

sábado, 4 de abril de 2015

São tantas as vozes que não ouvem que me esqueço das palavras e recolho em silêncios meus!