domingo, 31 de maio de 2015

Um dia dei por mim a recolher pedras; com as quais construí o novo caminho que agora me leva, sem que eu saiba, nem queira saber, onde me leva...quero caminhar nos aromas das Primaveras que me acompanham mesmo no centro de todos os Invernos!

sexta-feira, 29 de maio de 2015

As mudanças cansam o corpo...revestem a alma...elevam o espírito para o levar a horizontes desconhecidos nos sentidos com que nos empenhamos a tocar na força de conhecer novos caminhos...

quinta-feira, 28 de maio de 2015

Há 7 dias da semana e 7 são os dias para amarmos e sermos crianças todos em alegria e sintonia…Amar não tem dias nem horas, amar é um ato contínuo onde ensinamos e aprendemos todos por igual…é um colorido musical que nos salta do coração com a devoção do amor! 

segunda-feira, 25 de maio de 2015

A vida é feita de conquistas e derrotas o que somos é a atitude que temos perante cada uma delas...e aquilo que aprendemos entre ambas!

domingo, 24 de maio de 2015

Há interrogações que não encontram respostas...há respostas que se abrem pelas interpretações...há um espaço onde as palavras não dizem nada, é o silêncio que abre o pensamento, por vezes deixando as interrogações que não acrescentam nada às resposta onde se vive...

quarta-feira, 20 de maio de 2015

O tempo é tão frágil que por vezes esfuma-se com o vento sem que o consigamos alcançar nem dispensar...

segunda-feira, 18 de maio de 2015

Durante um tempo o meu silêncio será um rasgo de múltiplos pensamentos...entre ausências espero que o silêncio se organize e volte sereno como sempre...

sábado, 16 de maio de 2015

Sei o que é o amor...não porque me amas...mas pelo amor que em mim nasce todos os dias quando olho além de mim e de ti...
Caminho lentamente nas horas vazias ao encontro do amanhã...em tempo de mudanças os silêncios são mais profundos que antigamente...as palavras secam nos lábios que sorriem...o pensamento adormece para acreditar que a verdade é como a luz...pode parecer ficar escondida no tempo mas num rasgo descobre-se e brilha!

quinta-feira, 14 de maio de 2015

Hoje deixei um ponto final aberto numa secreta lágrima...não consegui dizer adeus nem pensar em não voltar...hoje abandonei sem abandono...sorri quando olhei para trás porque fui muito feliz...jamais esquecerei...jamais será igual...abraço novos caminhos trémulos na segurança das mudanças que não peço...acontecem!

quarta-feira, 13 de maio de 2015

Há um sabor tão intenso nestas horas de silêncio...o espírito (en)canta-se... a alma dança para não estar quieta porque veste a inquietude da saudade enquanto o dia se aproxima...ao mesmo tempo que anseia a nova luz que se avizinha!

segunda-feira, 11 de maio de 2015

Quando me ouvires cantar canta comigo...quando me vires a chorar... não, não chores comigo; continua a cantar para se abrir o meu sorriso e te poder chamar amigo! 

sábado, 9 de maio de 2015

Que queres que te diga? Quando tudo me (o)briga a silêncios tão meus...e perco-me na viagem de ser coragem...

sexta-feira, 8 de maio de 2015

terça-feira, 5 de maio de 2015

Que não morra a vontade que as ideias vivem em constante ebulição...há dias em que a vontade tira férias e teima em quer partir para longe...

segunda-feira, 4 de maio de 2015

Quem não é sensível à poesia, não a gosta de ouvir perde um dos mais nobres sentidos da existência...não conhece os caminhos da alma extra terrenos...
Recolho do dia os ventos de ontem que mostram os caminhos para o agora acontecer...entre tempestades e chuvas fortes também nascem novos tempos de Primavera...

domingo, 3 de maio de 2015

Não apago fotografias, nem risco palavras, tão-pouco rasgo papéis antigos, tudo conta a minha história para quando já não houver memória...

sábado, 2 de maio de 2015

O verdadeiro ser humano é construído em aprendizagens...muito se aprende uns com os outros...em especial a não cometer o mesmo erro duas vezes....muito se aprende com o que os outros (nos) fazem...mais do que naquilo que nos dizem....

sexta-feira, 1 de maio de 2015

Para se observar em plenitude temos que afastar o olhar e a emoção...que beleza tem a paisagem quando estamos dentro dela?

A beleza da eternidade da escrita é sabermos que ela fica e nós partimos sem sabermos o lugar onde o nosso legado marca!