terça-feira, 30 de julho de 2013

Beijarei sempre as madrugadas envolta de estrelas mesmo que em cristais o dia se faça chegar...abraçarei as horas com o vigor do (a)mar que em mim navega sem parar...

segunda-feira, 29 de julho de 2013


Se eu fosse rei ordenava que cessasse o silêncio e não se poderia comunicar por palavras!
Quando fechamos os olhos tudo o que enxergamos é o que está dentro do intimo sentir...assim é também quando julgamos...

quinta-feira, 25 de julho de 2013

Aquilo que sei é que não esquecerei o que abracei...tudo o resto será amnésia em sombras onde não toquei nem tocarei...

terça-feira, 23 de julho de 2013

Gosto de me entregar à noite onde os silêncios se tornam visíveis em palavras suadas do âmago...nela encontrar partículas onde viajo com os sons do mundo a pulsarem em mim...

segunda-feira, 22 de julho de 2013

sábado, 20 de julho de 2013

Em virtude da virtualidade perde-se a humanidade...cada vez mais desigual...mais virtual...

quinta-feira, 18 de julho de 2013

quarta-feira, 17 de julho de 2013

Quero lembrar sem nunca esquecer que tudo é uma imagem onde o pensamento se senta...até que a ausência se faça silêncio na forma de um adeus...

terça-feira, 16 de julho de 2013

Fica sempre um vidrinho a arranhar a queda mesmo depois de recolhidos os cacos da perda...

segunda-feira, 15 de julho de 2013

Deixei cair o sorriso para que a lágrima ficasse atrás dos vidros a olhar o silêncio entre palavras ouvidas...

A palavra já não existe...os coração são desenhos em teclas sempre iguais...as letras mudam de lugar mas formam sempre as mesmas frases...não existem lugares nem permanecias seguras...imagens paradas em quadros pendurados em paredes frias... 

sábado, 13 de julho de 2013

Quem dera que a inspiração entregasse apenas palavras suaves...mas ela vem da vida...do mundo e inspira também "poluição"...
Na ausência do sol as palavras aquecem as passagens...somente onde tocam porque não são universais...

sexta-feira, 12 de julho de 2013

Nas frestas abertas de uma flor a luz entrega o oculto... que um olhar não desvenda... se não entrarmos pela estreita passagem... numa margem de coragem...jamais tocaremos a verdadeira essência...

quinta-feira, 11 de julho de 2013


Só conseguirás encontrar-me se descobrires a ponta quebrada onde me perdeste sem que tivesses sentido a diferença…
Somos sol, rio e mar na brisa onde sabemos dar... a navegar nas ondas constantes da vida...somamos pedaços que fazem o todo que somos!

quarta-feira, 10 de julho de 2013

Repetirei os silêncios das palavras que calei...estarei onde as palavras se escutam sem voz...a tocar as consoantes vibrantes nas vogais erguidas das letras sumidas...

sábado, 6 de julho de 2013

As palavras não têm a força de um olhar...existem olhares que são a imensa força para não se desanimar...

sexta-feira, 5 de julho de 2013

 Preciso do vazio para preencher os sentidos perdidos...entre pontos escuto o silêncio e nele cada vez faço mais morada...

quarta-feira, 3 de julho de 2013

Beberei do ar a luz do olhar que em mim se seduz...para matar a sede dentro do peito onde nascem as ânsias...mudanças que imperam e não recuperam os sentidos onde os rumos se perdem...

terça-feira, 2 de julho de 2013