quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Quando confio; confio em pleno…quando desconfio é em pleno também.
Parece uma realidade óbvia mas talvez não!
Existe quem confia a desconfiar e quem desconfie a entregar confiança…


segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Parto sem deixar rasto neste mundo gasto!
O pó é pó coberto de lama...
As coisas só deixam de estar na moda quando deixamos de gostar delas...inventamos a desculpa da moda, mas na verdade não passa moda quando é o coração que sente...
Os dias já não falam, as horas tão-pouco cantam...os segundos morrem com rapidez na lentidão dos ponteiros pesados...os minutos, esses partiram, foram embora para parte incerta do dia...
Para se saciar a sede do relógio parado no vento, as gotas desprendem os sons a navegar por margens onde os cosmos despertam…a claridade dos passos a cada novo amanhecer onde o olhar encontra a suavidade e todo o sentir !
Daqui recebo o som do teu sorriso, mesmo no silêncio sinto… o ar da rua passeia pela janela, os frutos matinais descem do alto ao encontro da tua luz que brilha para lá da bruma da manhã...a desordem é o processo para ordenar os fluidos do dia...
Sopra a brisa suave, o nevoeiro embala os sonhos, o despertar é a força impulsiva de viver mais um dia de vida com o sorriso na voz...

domingo, 25 de setembro de 2011


Seremos todos unânimes, quando entendermos, que cada um tem o direito de pensar…seremos um pensador, sempre que nos entregamos no pensar…seremos humanidade, quando aprendermos a aceitar!



(estão fora deste aceitar as promiscuidades)

sábado, 24 de setembro de 2011

Existem traços que se confundem com linhas paralelas...apenas traços entrelaçados nas formas negras de uma estrada enigmática...

quinta-feira, 22 de setembro de 2011


Será a vida feita de acasos, ou os acasos serão propósitos para nos alertar a consciência….

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Quando estamos submersos nas águas do alto mar, os olhos não os conseguem ver a linha do horizonte com o mesmo levitar!

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Não me digas o que quero ouvir...diz-me o teu sentir...só assim é a verdade da amizade!

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Muda tudo; a cor do cabelo...o corte do vestido...não mudez nunca o brilho do olhar, aquele que sabe acreditar no sonho e vive como a borboleta a efemeridade na vida!
Por vezes somos força
noutras fraqueza,
numa e noutra
somos o calor de uma mão estendida!

sábado, 17 de setembro de 2011


Recebemos todos da água do mesmo rio, navegamos pela maré …mas tantas vezes cada um em lados opostos da margem!

quinta-feira, 15 de setembro de 2011


O mundo é maravilhoso quando a amizade é música nos ouvidos mesmo na distância do tempo….
Sou tantas vezes um silêncio que fala em palavras mudas, só o olhar atento as pode escutar com luz....
Ana Coelho

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

É por entre a névoa que os melhores sorrisos se destacam!
Há degraus para chegar a todo o lado...há espaços curtos para tantos degraus e linhas longas após cada subida...há ainda os passos que morrem antes da derradeira partida, contudo os degraus ficam lá indiferentes a tudo num nada extenso e longo do tempo!

terça-feira, 13 de setembro de 2011

A amizade só não é uma palavra falsa quando as mãos se tocam em todas as vertentes da vida!

domingo, 11 de setembro de 2011

Dá-me a tua mão para que sinta o pulsar do coração, as razões de um vida que se alimenta do amor em todas as linhas onde espreita...dá-me a tua mão, somente se o teu coração sente assim como o meu as palavras livres como um condor feliz por ter vento nas penas que o alimentam...

sábado, 10 de setembro de 2011


Por vezes pensamos que o destino se engana, outras que enganamos o destino e no fim das contas nada é engano tudo é uma soma destemida da vida que se afigura como lhe apraz...

Rasgam-se do céu pedaços de algodão caem pela terra em gotas húmidas a lacrimejar na terra...o sol vagueia inquieto nas formas infindas que conhece desde o ventre do universo.

domingo, 4 de setembro de 2011

quinta-feira, 1 de setembro de 2011


Quando as noites são insónias as madrugadas são a trovoada que agita o corpo e a alma chora sem peia...
Grandes são todos aqueles que mesmo em bico dos pés não deixam de sentir os calcanhares na terra...