quarta-feira, 30 de maio de 2012

Na morada dos meus sonhos há um alpendre amplo...onde todos se podem sentar...a única referência será a de partilhar da mesma tonalidade nos sonhos!
A poesia é sempre um recado ao mundo
não para um mundo restrito...
quando assim não é não será poesia!
Quando as pétalas se elevam...há um perfume no meu olhar...quando os meus dedos tocam a sua maciez há uma renovação...a pulsar no meu sorriso aberto e atento ao universo que as criou!

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Quando tudo parece estar num ponto esquecido...eis que novos caminhos se elevam...esperar é preciso...acção também no tempo preciso!

sábado, 26 de maio de 2012

Por vezes as palavras saem-me como agulhas do inquieto pensamento que tão-somente observa...se sentires uma picada...não me questiones...busca em ti o local onde arde esse ardor!
Posso escrever só para mim...é indiferente!
As palavras tecem-se nos fios do pensamento...entrelaçam-se sem esforço...a liberdade com que elas partem é o grande prazer...essa é a derradeira diferença!
Quando doí a cura está perto...de silêncio em silêncio tudo fica mais nítido...o arco-íris rasga na lembrança a promessa divina...o horizonte renovasse na medida do olhar...

sexta-feira, 25 de maio de 2012

Que simplicidade é esta? ...Onde a vaidade é o pano de manobra...disfarçada!
Entretenho o olhar a virar páginas e páginas...relembro o azul do céu...esqueço os dias de chuva...para de novo abraçar as páginas que ainda faltam virar!

sábado, 19 de maio de 2012

Navego no meu silêncio...de palavra em palavra escuto um novo timbre...desafio-me para não me esquecer da linha onde me divido!
Aqui e ali onde o vento passa renasço em torno das brisas floridas...com as pétalas em rodopio danço com a música que visto no âmago!

sexta-feira, 18 de maio de 2012

Há muito que deixei de questionar...agora apenas alcanço as respostas no silêncio das palavras...
As ondas macias do vento passam no frente do meu olhar...caem pétalas aos meus pés...com o som que aprendi a dedilhar nas gotas que regaram um dia o meu caminhar!

quinta-feira, 17 de maio de 2012

Não, não olhem as palavras por aí...afastem-se...há coisas que ao longe ficam mais nítidas...olhem aqui na minha distância!
Afinal que significariam as palavras fechadas no silêncio?...

Tantas e tantas coisas...coisas de livros...com os livros...pelos livros...e, pois e...o mundo seria melhor se os humanos fossem livros abertos...passagens...e correntes de tudo não só de palavras...o ego e a ganância teriam de ficar na outra margens sem passagem...os livros, sempre fiz companhia deles...os livros que me ensinam...outros que nada me dizem nem acrescentam ao meu livre pensar!


Há momentos que não queremos deixar partir...mas se eles fossem mais que um momento não teria o mesmo sabor na memória!
São poucos os que me entendem…que importância tem isso quando eu sou o que sinto…e só as palavras são metáforas!

quarta-feira, 16 de maio de 2012

De tudo faço
com o nada na mente
somente nas mãos o coração
em aromas diversos...dispersos entre pétalas
colhidas no meu jardim...que cuido sem apelo ou agravo!
…de repente fez-se silêncio

e tudo ficou tão claro
nesta ponta da noite
a ficar madrugada…

retrospectiva do futuro de ontem
nos gestos
pois as palavras não dizem nada
são ecos decorados
frases pensadas…

terça-feira, 15 de maio de 2012

segunda-feira, 14 de maio de 2012

.

O mundo tem um som...o universo tem outro...cabe a cada um escolher o que escutar!
As palavras encontram-se e desencontram-se em novas formas todas os dia...das palavras nascem os afectos os gestos e todo o resto...que seria da vida sem palavras...as que respondem, questionam...alegram e sorriem...e nos poetas a palavra é "amante" presente sempre, onde nasce tudo e nada num mundo de plenitude de palavras cruzadas...
Nunca se esqueçam da palavra certa...não a deixem por dizer...depois é incerto e a palavra pode já não estar na ponta certa!

sexta-feira, 11 de maio de 2012

Por vezes penso que já não há nada mais para escrever...que tudo já foi dito...no entanto as palavras fervilham num remoinho louco em relâmpagos impulsivos!

terça-feira, 8 de maio de 2012

sexta-feira, 4 de maio de 2012

Não me esquecerei de ti mesmo que a minha presença seja ausente...
Nunca um amor se apaga quando foi verdade no sentir...
As memórias alimentarão as ausências e serão sempre presentes na vida...
Ainda que os caminhos separem nunca os corações se desligam quando viveram momentos de plena cumplicidade...
Quando o olhar se banha de felicidade as palavras ficam no sorriso num abraço num afago sentido.....
Saberás tu onde me encontrar?
Só saberás se o teu pulsar for o mesmo...poderemos até nos cruzar mas nem sempre nos encontramos!
É tarde e o sol reina amplo...o vento sopra revoltas em volta das searas mornas...os rios já não escutam os murmúrios...é silêncio numa corrente amena onde descansam as palavras...

quarta-feira, 2 de maio de 2012

Eu quero sair por aí onde haja sol ...descer as montanhas e ficar a sentir a água a correr de uma cascata...ficar...estar...apenas com o sol a contemplar as gotas suadas da memória!