sábado, 26 de fevereiro de 2011

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Todos os momentos são bons mesmo os que nos fazem verter lágrimas, pois delas nascerá sempre a mais bela flor de renovada de esperança...

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Tenho o fôlego em asas...tenho a noite na esteira e as estrelas em lampejos do olhar...a lua, procuro a lua mas não consigo encontrar!!!
Cerro o olhar para dentro do âmago, vasculho o cerne as vozes de silêncio nas pontas soltas da razão...deambulo mais um pouco e só encontro as batidas tímidas do meu cerne...paro...e sorriou a mais um dia!

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Canto o encanto numa nota esquecida, toco o toque da melodia do dia, soletro o verbo que do peito me chama, a chama da vida em que o amor é luz e a luz um amor em claridade mesmo nas cinzas de uma nuvem vestida...

domingo, 20 de fevereiro de 2011

De súbito tudo esqueci e nas roupagens do destino desfiei linho na púrpura cor que me descerra...

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Com uma ilusão aprendi a realidade da ilusão que agarra o coração nas marcas efémeras da utopia com a consagração da verdade inteira...

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Esta voz que não vejo mas sinto murmura sinfonias do vento em clarões azuis na noite que agora se move rumo a um novo dia vestido de sol mesmo coberto de chuva...

domingo, 13 de fevereiro de 2011

Seremos todos um quando um der o primeiro passo e todos num só compasso assim o fizerem...

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Chegam às minhas veias ecos do ponto central equidistante em silêncios lidos nos olhares que dissipam e os axiomas brilham por de trás daquilo que se mostra...

sábado, 5 de fevereiro de 2011

Tudo tem uma razão, uma solução muito perto do sentir, basta aceitar e escutar os passos a seguir...

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Sentei-me no vazio do dia, nas margens do rio que me aquece sempre a mais fina emoção...parei as águas com o olhar profundamente aninhado nas brisas frescas que uma flor me entregou e no rosto me perfumou uma lágrima solitária...o velejar das horas trouxeram mais uma migalha de calor que me fará sonhar uma nova utopia...

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011