quinta-feira, 26 de julho de 2012

Aqui e ali sinto um tempo que não reconheço nas ondas de um vento liberto...disperso a mente para sacudir as folhas mortas...recolho as sementes no colo da alma numa canção de ninar!

Sem comentários:

Enviar um comentário