quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Na minha escrita há muito de sonho, silêncio, margens e abraços porque em todas estas palavras há uma imensidão onde eu ainda não consegui tocar nem esvaziar...

Sem comentários:

Enviar um comentário