domingo, 29 de abril de 2012

Quando sentires que o tempo foge e que com ele não consegues caminhar...pára...inspira o ar do infinito...murmura silêncios no ombro do tempo...ele caminhará indiferente...mas tu!...sentirás a indelével leveza de largar o contratempo...

Sem comentários:

Enviar um comentário