sábado, 16 de abril de 2011

Respiro a voz da poesia, adormeço os dias no silêncio das palavras e os sonhos reabrem-se no horizonte que o âmago agradece no sossego do meu sorriso aberto…

Sem comentários:

Enviar um comentário