sábado, 11 de junho de 2011

Apenas seremos aquilo que do âmago transparece nas ameias de cada auscultar límpido que nos recebe na silhueta de cada nascer do sol...

Sem comentários:

Enviar um comentário