sábado, 24 de outubro de 2015

Olho a luz da manhã sem quer olhar para lá deste agora que me abraça...recolho-me no meu silêncio...as palavras estão cansadas...o amanhã é tão incerto que me recuso a olha-lo...tudo o que quero está dentro do silêncio e nele ficava eternamente sem medos...

Sem comentários:

Enviar um comentário