sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Ardem-me as pestanas do frio que as entranha, um vento desértico que passa pela atmosfera; não o frio do tempo mas, um tempo frio, onde não me encontro!

Sem comentários:

Enviar um comentário