terça-feira, 6 de março de 2012


O refrigério da minha alma é a natureza e as palavras entrelaçadas no silêncio onde o sentir é uma orquestra de melodias no  bico de um pássaro a planar as orlas do infinito!


Sem comentários:

Enviar um comentário