domingo, 26 de abril de 2015

Da janela da madrugada vi no silêncio as palavras que não foram ditas nem escritas...vi os olhares refletidos no luar ausente...enquanto a chuva caía o vento soprava e nele os sentidos ficaram mais nítidos...

Sem comentários:

Enviar um comentário