terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Cerro o olhar para dentro do âmago, vasculho o cerne as vozes de silêncio nas pontas soltas da razão...deambulo mais um pouco e só encontro as batidas tímidas do meu cerne...paro...e sorriou a mais um dia!

Sem comentários:

Enviar um comentário