segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Canto o encanto numa nota esquecida, toco o toque da melodia do dia, soletro o verbo que do peito me chama, a chama da vida em que o amor é luz e a luz um amor em claridade mesmo nas cinzas de uma nuvem vestida...

Sem comentários:

Enviar um comentário