segunda-feira, 30 de maio de 2011

A minha voz não é um silêncio, a minha silhueta não é uma sílaba escrita em folhas de papel...os meus gestos são tudo aquilo, que alguém aufere na forma límpida de olhar...com os sussurros suaves que lhe habitam na antecâmara de SER...

Sem comentários:

Enviar um comentário