sábado, 27 de agosto de 2011


Não foram as tuas palavras, que me ensinaram a entender o olhar, foram as sombras que os gestos vestiram, e no silêncio os ecos, que agora recordo; fazem dessas palavras a exactidão de um perfil, que não quis entender, quando vivia com o sol no peito e tudo o que vislumbrava era o reflexo desse sol…


Sem comentários:

Enviar um comentário