sábado, 27 de agosto de 2011


As sombras que me vestem são as formas mortas desenhadas na terra onde o pó as esquece num sopro de vento quando o sol do olhar as busca na contra luz que o âmago resplandece...

Sem comentários:

Enviar um comentário