sábado, 2 de junho de 2012

Canta-se o canto da aurora a florescer...nas asas dos pássaros os cânticos ganham novas cores...a rasgar a madrugada vêem em solenidade os raios de luz...no espelho das águas as miragens da noite calam a lua num sussurro leve...tudo começa aqui onde o escuro se deita!




Sem comentários:

Enviar um comentário