quinta-feira, 30 de maio de 2013

Rasga-se em mim um vento que a memória apaga em relâmpagos de nada...um nada inesquecível onde a suavidade do rio aconchega as lembranças do agora presente...
 

Sem comentários:

Enviar um comentário