sábado, 26 de julho de 2014

Quando as horas se demoram as ausências marcam passagens onde o olhar conjuga os verbos soltos do tempo...em aragens pintadas de aromas do corpo dançante na alma esvoaçam-te.

Sem comentários:

Enviar um comentário