quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Quando já não houverem sorrisos na terra o homem lembrar-se-á que os devia ter semeado...alagado nas gotas que os olharem vertem será eterna(mente) Inverno...e os rostos serão um noite de chuva sem luar em ladainhas irremediáveis!

Sem comentários:

Enviar um comentário