quinta-feira, 4 de junho de 2015

Os dias galgam as margens nos desencontros de tudo...ficam as formas e os silêncios onde tudo se renova e clarifica como água pura de uma fonte suave ou de outras nascentes...tudo se revela independentemente do tempo!

Sem comentários:

Enviar um comentário