segunda-feira, 24 de outubro de 2011

...no imenso silêncio
rasgam-se os fragmentos de uma harpa
onde as notas correm sem pressa
no vento sereno do Outono
na distância da Primavera...

Sem comentários:

Enviar um comentário