segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Perco-me no silêncio, quando a voz se encontra com o espelho e nele refaz, a imagem de ontem, para o novo futuro, com o presente a palpitar no peito, a verdadeira e derradeira imagem, que me desperta!

Sem comentários:

Enviar um comentário