segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Os meus olhos buscam a luz prateada da lua, os raios finos de sol a beijarem a alvorada...as minhas mãos são o abrigo do som que cada um lhe empresta nas arestas onde a noite é claridade enamorada no ãmago onde um sopro é vida com a férrea vontade de apenas ser madrugada...

Sem comentários:

Enviar um comentário