quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Na nostalgia das horas as palavras fervem numa união uniforme com a ponta da caneta...soltam-se ventos na raiz da chuva...os espelhos cantam verdades que a sombra oculta...caí a noite e os teus passos abraçam o meu respirar!

Sem comentários:

Enviar um comentário