segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

Percorro as solitárias entregas num ponto de partida onde me ausento para sentir mais que palavras...volto ao topo dos sonhos sem ambição num caminho de poeira a deixar marcado o legado das palavras que não escrevo...sinto!

Sem comentários:

Enviar um comentário