quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Se me vires passar nas águas cansadas do rio deixa a leveza do vento me ensinar a voar...pois da terra pouco resta desta estéril loucura que me grita o nada... deste terreno sentir...nada é a verdade que valha a pena medir neste todo de poucos valores que os meus olhos vêem fugir...

Sem comentários:

Enviar um comentário