segunda-feira, 28 de novembro de 2011


As palavras têm personalidade e vontade própria, tanto se aprisionam, como se soltam...qual cavalo bravo no meio do prado sem freio!

Sem comentários:

Enviar um comentário