sábado, 1 de dezembro de 2012

Deixo-me embalar nos raios de sol com o vento frio a cantar serenatas ao rosto...espero a força das horas num compasso em clave de fá...dançam nos meus olhos cristais de amor quando o livro branco fica repleto de memórias do agora!
Um dia serão tão-somente pedaços espalhados do tempo que sempre será o tempo que em nós vive...

Sem comentários:

Enviar um comentário