quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012


Amo a vida no balanço da morte que é o partir mais certo que o destino nos entrega desde a primeira hora...amo tudo o que é passagem na paixão das efémeras lembranças que caem em cada marear do meu pensar...não procuro o escuro nem a luz intensa das passagens...caminho somente ao encontro das horas que o infinito me empresta enquanto por aqui andar...

 
[Memórias da (in)certeza]


Sem comentários:

Enviar um comentário