terça-feira, 28 de fevereiro de 2012


Tenho cristais soltos no olhar...tenho vontades escondidas para não magoar...habita em mim a quietude da ilusão...os medos navegam em asas sem par...caem do horizonte névoas para descodificar...a luz é intensa no silêncio da voz...a garganta amortalha palavras num papel branco...libertar as ânsias...mas as ânsias não se despegam deste deambular entre fios e cordas a baloiçar! São ventos sem norte em busca do sul…nas margens de um mar, tão profundo como as dúvidas de um náufrago em cascos a navegar…

Sem comentários:

Enviar um comentário